Visitas ao Burj Khalifa (Dubai) geram receita de USD 7.5 mi por mês

Receita de Visitas ao Burj Khalifa (Dubai) geram receita de USD 7.5 mi por mês

A | A
O arranha-céu mais alto do mundo Burj Dubai (Khalifa) atrai milhares de visitantes todos os dias desde que abriu as portas ao público em 5 de janeiro, gerando expectativas por milhões em lucro caso a procura continue nessa dimensão.

O arranha-céu mais alto do mundo atrai milhares de visitantes todos os dias desde que abriu as portas ao público em 5 de janeiro, gerando expectativas por milhões de dólares caso a procura continue nessa dimensão.

Burj Khalifa, mais conhecido pelo apelido de Burj Dubai, da Emaar Properties, leva seus visitantes até o 124º andar, a aproximadamente 828m de altura em Dubai, a um custo que varia entre 30 e 110 dólares para quem quer visitar a torre. Dessa altura é possível ver a 85km de distancia a olho nu, e os detalhes podem ser apreciados usando um dos 12 telescópios instalados no local.

Burj Dubai (Khalifa)

Emaar não anunciou quaisquer dados sobre o número de visitantes e a receita acumulada dez dias após a abertura. Mas indicou que "a torre tem atraído milhares de visitantes desde que foi aberta ao público em 5 de janeiro."

burj-khalifa-dubaiA companhia informou que a alta procura levou a administradora da torre a iniciar um processo de reservas para as visitas. E criou bilhetes limitados para visitas emergenciais a um custo de 110 dólares.

Algumas fontes afirmam que 650 pessoas sobem o prédio mais alto do mundo a cada hora, e o movimento tem sido intenso desde o início das atividades às 10 da manha até a meia noite. A lista de espera para conseguir uma entrada passa de quatro dias.

Fazendo as contas e considerando que todos os visitantes pagassem o valor mais baixo, podemos estimar a receita mensal gerada pelas visitas em, aproximadamente, 7,5 milhões de dólares (13,5 milhões de reais).

Segundo Emaar, cinqüenta funcionários administram o passeio que dura meia hora.

Burj Al Khalifa (Burj Dubai) tem 160 andares, e comporta até 100 mil pessoas em apartamentos residenciais, escritórios e hóspedes do Hotel Armani.

O edifício, que custou mais de 1,5 bilhão de dólares, faz parte de um projeto de empreendimentos de 20 bilhões de dólares.