Principal > Política > Notícias
Português العربية
    Thursday, April 22, 2021
ArabesQ
Newsletter

Receba as nossas notícias por e-mail


Organizações prometem manifestações no Brasil até o fim da agressão a Gaza

 Imprimir Arabesq | 11/01/2009 A | A
Publicidade
Consciência Jeans

Milhares de manifestantes se reúnem em todo o Brasil para protestar contra os massacres praticados por Israel na Faixa de Gaza.

Na sexta-feira, dia 9 de janeiro, centenas responderam ao chamado de organizadores, civis e políticos, para participar da “sapatada ao governo Bush e a Israel” no terceiro dia de protestos na capital paulista.

Enquanto os manifestantes “se armavam” com os 200 pares de sapatos doados por um empresário da comunidade árabe, os organizadores da manifestação vestiam os bonecos para representarem o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert. Ambos os boneco foram queimados no final do ato.

» Veja Fotos da "Sapatada"
» Veja os bonecos de Bush e Olmert sendo queimados em São Paulo

Alguns manifestantes, impacientes, avançaram emocionados contra os bonecos, jogando sapatos e gritando slogans contra o Estado de Israel, solidários ao povo palestino.

“vemos muitas imagens horríveis, centenas de crianças morreram junto às suas mães. Sentimos necessidade de fazer algo, de poder interferir para salvar a vida dos civis. Este gesto (sapatada) ajuda a demonstrar nosso repúdio dos massacres de Israel contra os palestinos”, desabafou um manifestante.

Outras manifestações em Brasília, Curitiba, Florianópolis e Rio de Janeiro também defenderam o fim da agressão e a imediata solidariedade do governo brasileiro para com os palestinos.

Na manifestação realizada em São Paulo no dia 2 de janeiro, partidos políticos e organizações civis expressaram total apoio a Gaza e cobraram maior envolvimento do Brasil para interromper o conflito. Uma representante do PSOL exigiu que o Brasil não ratifique o tratado de livre comércio assinado com Israel, e prometeu trabalhar junto ao seu partido para garantir que Israel não se beneficie economicamente do Brasil .

O MST anunciou por intermédio de um representante presente na manifestação, que o movimento quer iniciar uma nova Intifiada que mobilize o povo brasileiro em solidariedade ao palestino; e está disposto a “ocupar latifúndios de sionistas ou de empresas que apóiam o estado genocida de Israel aqui no Brasil”.

O vereador Jamil Murad, muito emocionado, relembrou suas viagens aos territórios palestinos quando teve apontada, contra seu peito, a metralhadora israelense. “exigimos da ONU que tome uma posição para desocupar o território palestino, para que os palestinos tenham a sua pátria, que tenham sua capital em Jerusalém, que tenham o direito do retorno dos refugiados e que tenham a libertação dos 11.000 presos políticos nos presídio de Israel... eu tenho que defender o povo palestino que está sofrendo e morrendo, este é o meu compromisso”, defendeu Murad.

Os manifestantes também criticaram a ausência da reação de organizações que defendem os direitos humanos, e pediram do Egito que abra as passagens da fronteira de Rafah para amenizar o sofrimento dos civis na Faixa de Gaza.

Comitês que reúnem movimentos e organizações de todo o Brasil prometem manter as atividades e as manifestações, em todo o território nacional, até que Israel pare a agressão contra a Faixa de Gaza.

 Imprimir
No momento não temos comentário, entre com o primeiro comentário aqui...
E você, o que acha disso?
*Título
*E-mail
*Nome
*Comentário
*País
Enviar
* Todos os campos são necessários, o email não será exibido junto ao comentário. Não serão aprovados comentários com conteúdo indecente, racista, desrespeitoso e que não seja relacionado ao assunto comentado.
ArabesQ não se responsabiliza pelo conteudo dos comentários.
Jovem carrega a banheira da palestina durante manifestação no vão do Masp em São Paulo Jovem carrega a banheira da palestina durante manifestação no vão do Masp em São Paulo
Rádio Arabesq
Veja Também

+ Populares

Copyright © 2009 ArabesQ, todos os direitos reservados.