Barco “Al-Karama” alcança porto no Líbano depois de ser danificado por Israel

Receita de Barco “Al-Karama” alcança porto no Líbano depois de ser danificado por Israel

A | A
O barco “al-karama”, palavra árabe para Dignidade, conseguiu alcançar o porto da cidade de Sur no Líbano portando parlamentares europeus e ativistas internacionais que se dirigiam a Gaza

O barco “al-karama”, palavra árabe para Dignidade, conseguiu alcançar o porto da cidade de Sur no Líbano portando parlamentares europeus e ativistas internacionais que se dirigiam a Gaza na noite passada quando foram interceptados pela marinha israelense que chocou um de seus navios de guerra com o barco, danificando-o, e impedindo o acesso aos portos de Gaza, colocando sob risco de morte todos os seus tripulantes.

O presidente do Líbano Michel Suleiman, ordenou mobilização total das condições do Líbano para salvar a embarcação e seus tripulantes que pretendiam alcançar os portos de Gaza transportando mais de 15 toneladas de mantimentos e ajuda humanitária à população palestina.

A rede de notícias al-Jazeera e as autoridades em Gaza responsabilizaram Israel pela segurança dos ativistas acompanhados por uma equipe da al-Jazeera. E pediram às organizações internacionais de direitos humanos que acompanhem e pressionem pela segurança dos tripulantes.

Em entrevista por telefone via satélite o correspondente da Al-Jazeera na embarcação informava durante a madrugada que o barco teve a frente danificada com o choque causado pela marinha israelense, “a água começou a invadir o barco, e os nossos motores estão paralisados, estamos afogando no meio do nada e somos impedidos de tentar alcançar Gaza... nos dirigiremos aos portos do Líbano, mas temos receios de sermos impedidos de prosseguir pelos israelenses que querem nos forçar a retornas ao Chipre, não temos combustível para isso”, apelou Sami Al-Hajj.

Ainda em águas internacionais a embarcação lançou o pedido de SOS, os tripulantes conseguiram concertar um dos motores e começaram a se movimentar em velocidade lenta rumo ao Líbano, perseguidos durante todo o percurso por três navios da marinha israelense.

“Dignidade veio para ajudar a população de Gaza, mas a sua tripulação foi colocada na situação que a obrigou a pedir ajuda... a situação ficou muito perigosa esperávamos a qualquer instante a ordem do comandante para abandonarmos o barco”, acrescentou Al-Hajj.

O porta-voz do ministério das relações exteriores de Israel, Beghal Palmer, justificou a atitude de Israel dizendo que o objetivo da embarcação é o de provocação ao mostrar apoio ao movimento de resistência islâmica Hamas.

Dignidade já havia conseguido quebrar mais de 4 vezes o cerco israelense à Faixa de Gaza, transportando suprimentos médicos e alimentares para a população que sofria pela falta de alimentos após cerco israelense contínuo de mais de 2 meses.