Principal > Política > Artigos e Análises
Português العربية
    Sunday, September 22, 2019
ArabesQ
Newsletter

Receba as nossas notícias por e-mail


AS LÁGRIMAS DE GAZA - Por Abdel Latif

 Imprimir Arabesq | 12/01/2012 A | A
Publicidade
Consciência Jeans

As lágrimas de Gaza é um documentário produzido pela atriz norueguesa VIBEKE LOKKEBERG, sobre os crimes cometidos por Israel contra a população palestina, civis, principalmente crianças, durante os ataques israelenses a Gaza em 2008 e 2009.

Durante o massacre sionista em Gaza, há três anos, mais de mil e quatrocentos palestinos foram mortos, a massiva maioria civis, crianças e mulheres; milhares de casas e prédios foram destruídos. Sem ter para onde ir, confinada, a população foi brutalmente atacada pelas forças de ocupação israelense, que destruiu casas, templos, escolas e até instalações da ONU.

Israel foi acusado de cometer crimes de guerra e crimes contra a humanidade, por várias organizações internacionais.  As imagens das crianças palestinas massacradas pelo exército israelense chocaram o mundo, inclusive a diretora do filme.

Disse Vibeke: “Após assistir imagens de uma criança palestina, que perdeu toda a sua família em um ataque israelense contra sua casa, decidi produzir um documentários sobre Gaza.  Israel me  impediu, da mesma forma que fez com os muitos outros jornalistas, de entrar na região, por isso usei material filmado e arquivado por jornalistas palestinos locais”.

Segundo ela, o filme não é apenas sobre o sofrimento das crianças e mães palestinas, mas principalmente sobre a capacidade incrível dessa população de resistir à matança e não perder a esperança.

O filme causou uma resposta sionista imediata. A diretora foi acusada de anti-semitismo e o lobby sionista  tentou impedir a exibição do filme na Europa.

O sionista racista,  falso humanista, judeu da França, Bernard Levy, classificou o filme como “pura propaganda, porque ao transformar Israel em algo satânico, promove a guerra e não a paz”.

Outro sionista, Lars Adaktusson, advertiu que produzir filmes com a intenção de aumentar o ódio contra Israel tem grande responsabilidade, assim como exibi-los e declarou em tom de ameaça que esses filmes não devem ser exibidos no mundo.

Apesar disso, o filme recebeu vários prêmios e foi exibido por várias estações de televisão em muitos países europeus.

A escritora sueca Maria Parium Larshon caracterizou o filme como uma película que toca profundamente a alma humana e prova a veracidade dos relatórios dos organismos internacionais sobre os crimes de Israel em Gaza.

O produtor Anthony Frank escreveu que o filme mostra a realidade nua e a guerra. “Devemos assisti-lo para descobrir o efeito da guerra não apenas nos corpos das crianças, mas sobretudo em suas mentes”.

Souzan Londgirin, ativista de direitos humanos, declarou que “o filme é um documentário peculiar e que deve ser exibido em todos os países. Não tem como esquecer o rosto das crianças palestinas, suas palavras e suas lágrimas. Ao assistir o filme, minha grande dor se transformou em uma grande ira. Como alguém pode chamar o ataque israelense de guerra? É um ato militar, ilegal, cruel. Uma agressão contra a população civil, com intenção de  destruí-la, característica de um racismo letal, limpeza étnica e genocídio que devem cessar imediatamente”.

O filme é sobre o destino de três crianças palestinas que perderam suas famílias durante o massacre israelense. È um filme sobre a vida real de um povo que luta contra o racismo, opressão e ocupação.

O filme mostra que em Gaza, as crianças palestinas, apesar da morte, sonham com a vida e apesar do cárcere que é a ocupação, sonham com a liberdade e paz .

Israel e seus aliados devem se preocupar não com os documentários que registram seus crimes contra a humanidade, mas sim com os crimes, porque a hora de prestar contas chegará e todos os criminosos pagarão o preço justo pelos seus crimes.

Israel é capaz de destruir casas e matar crianças e mulheres, mas jamais conseguirá destruir a determinação de um povo com raízes e que luta pela sua liberdade.

 Imprimir
Abdel Latif Hasan Abdel Latif

COMENTÁRIOS
 
Mozes Jacob 1/13/2012 10:30:08 PM
Este filme, não só deve estar nas telas de cinemas aqui no Brasil, como na mídia televisiva, é a prova do massacre que os #### judeus sionistas fazem com a população nativa Palestina no Oriente Médio, a ONU e seus marionetes dos sionistas devem ter a honra de fazer justiça contra essa gente maléfica que invadiu e tomou a Palestina, como disse nosso companheiro Abdel Latif, um dia a justiça será feita e não restará pedras sobre pedra contra essa #### que lá habita.

Este comentário foi editado pelo Portal Arabesq para se adequar às politicas de respeito coletivo.

nader alves bujah 1/16/2012 12:06:45 AM
é possivel traçar uma estratégia palestina com o apoio dos nossos aliados ao redor do mundo, a fim de adotar procedimentos legais para processar os responsáveis israelenses pelos crimes praticados????????

francisco magalhaes neto 1/16/2012 7:52:10 AM
o dono do capital tudo pode e o mundo se curva, no faz de conta que está tudo bem; pura hipocrisia do mundo dito civilizado. Canalhas e hipocritas

Celia Mota 1/16/2012 4:56:43 PM
Acusar os produtores do filme de anti-sionismo não apaga o massacre. As imagens são a prova viva da ação militar israelense. Deveriam ser exibidas no Tribunal Internacional de Haia. Lá é o lugar certo para julgar Israel e seus crimes. Nenhum dinheiro compra a verdade.

jayme endebo 1/16/2012 8:48:00 PM
Dá a maior pena destes #### antisemitas, voces são realmente dignos de pena pois foram educados para o odio e ainda procuram disseminar o odio.####, é só olhar quem tem dezenas de premios nobel e quem tem governos que roubam e matam seu povo. hahahaha continuem assim seus ####. Os judeus e os sionistas estão #### na cabeça de vcs.

Este comentário foi editado pelo Portal Arabesq para se adequar às politicas de respeito coletivo.

Jean Imani Suleiman de Oliveira 1/18/2012 10:28:34 PM
Jayme Endebo, você é que é um anti-semita! Veja bem, essa idéia de que só judeus acumulam Premio Nobels é uma falácia! Uma fantasia! Existem várias personalidades que receberam o Premio Nobel. O governo sionista é assassino, porno-político e corrupto, sim. E outra, com quem os judeus aprenderam a pensar, ou, a serem intelectuais de verdade?? Ora, com os Árabes! Com quem os judeus aprenderam coisas sobre, astronomia, medicina, matemática e filosofia e etc?? Mais uma vez: ora, com os Árabes! Os judeus se iludem fácil com a idéia de que são os senhores de toda força intelectual que há no mundo. Se iludem até mesmo de que são descendentes dos antigos hebreus! Hebreus=judeus? Hum, ledo engano! Hebreu+semita=palestino! Aí sim!! haha

Marcia Lopes 2/21/2012 11:29:03 PM
Israel está plantado ali como estratégia dos EUA,ou seja, eliminar todos.A partir de Israel,os EUA, tenta minar a resistência dessa população maravilhosamente humana,dignos e resistentes.Não conseguirá, porque o Oriente Médio não se entrega.Além de minha admiração pelo Oriente Médio, torço que tanto EUA como Israel, saiam daí com o 'rabinho entre as pernas'.Basta de crueldade com inocentes!

nilvagomes 3/2/2012 6:45:18 PM
acho q esses paises do oriente medio nao tem mas geito eles ja nacem com o odio no coraçao , pra esses pais encontrar a paz e preciso reenventar todo um povo sofrido e destruidoe massacrado e cheio de odio no coraçao, mas q tbm nao procura mudar como progresso do mundo, nao a o que fazer por eles.

E você, o que acha disso?
*Título
*E-mail
*Nome
*Comentário
*País
Enviar
* Todos os campos são necessários, o email não será exibido junto ao comentário. Não serão aprovados comentários com conteúdo indecente, racista, desrespeitoso e que não seja relacionado ao assunto comentado.
ArabesQ não se responsabiliza pelo conteudo dos comentários.
Rádio Arabesq
Veja Também

+ Populares

Copyright © 2009 ArabesQ, todos os direitos reservados.