Principal > Política > Notícias
Português العربية
    Thursday, April 22, 2021
ArabesQ
Newsletter

Receba as nossas notícias por e-mail


ElBaradei: "Mubarak deveria ir embora para salvar a pele"

 Imprimir AFP | 01/02/2011 A | A
Publicidade
Consciencia Jeans

O ex-diplomata egípcio Mohamed ElBaradei, que está se impondo como referência da oposição ao regime de Hosni Mubarak, advertiu nesta terça-feira em uma entrevista ao jornal britânico The Independent que se o presidente "quer salvar a pele, seria melhor ir embora".

"Quando um regime retira totalmente a polícia das ruas do Cairo, quando capangas são parte da polícia secreta, tentando dar a impressão de que sem Mubarak o país vai afundar no caos, isto é um ato criminoso. Alguém tem que prestar contas", declarou o ex-diretor geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e prêmio Nobel da Paz.

"E agora, como podem ouvir nas ruas, as pessoas não estão dizendo que Mubarak deve ir embora, estão dizendo agora que Mubarak deve ser julgado. Se quer salvar a pele, faria melhor em ir embora", completou ElBaradei em uma entrevista concedida pelo especialista em Oriente Médio Robert Fisk.

ElBaradei também disse confiar no Exército. "Creio que, no fim, o Exército estará com o povo. Isto é senso comum quando há duas milhões de pessoas nas ruas representando a 85 milhões".

Apesar de ter recebido a missão de "negociar" com o regime por uma díspar Coalizão Nacional pela Mudança, que reúne vários partidos de oposição, entre elas a Irmandade Muçulmana, disse na entrevista que não quer ser presidente.

"Dia da saída"
Em declarações feitas ao canal de televisão Al-Arabiya, o prêmio Nobel da Paz reforçou que o presidente egípcio deve abandonar o poder até sexta-feira. "Sexta-feira foi batizado de 'o dia da saída'", afirmou.

Em outra entrevista, desta vez à emissora Al-Hurra, ElBaradei disse que deseja uma saída honrosa para Mubarak, cuja renúncia é exigida por milhares de pessoas no oitavo dia de prostestos populares sem precedentes no país.

"Sou a favor de uma saída honrosa para o presidente Mubarak", declarou ElBaradei. "Vamos virar a página. Perdoamos o passado", acrescentou, dando a entender que o presidente não será julgado se deixar o poder como exigem a oposição e os manifestantes.

Protestos convulsionam o Egito
A onda de protestos contra o presidente Hosni Mubarak, iniciados em 25 de janeiro, tomou nova dimensão no dia 29. O governo havia tentado impedir a mobilização cortando a internet, mas a medida não surtiu efeito. O líder então enviou tanques às ruas e anunciou um toque de recolher - ignorado pela população - e disse que não renunciaria. Além disso, defendeu a repressão e anunciou um novo governo, que buscaria "reformas democráticas". A declaração foi seguida de um pronunciamento de Barack Obama, que pediu a Mubarak que fizesse valer sua promessa de democracia.

O governo encabeçado pelo premiê Ahmed Nazif confirmou sua renúncia na manhã de sábado. Passaram a fazer parte do novo governo o premiê Ahmed Shafiq, general que até então ocupava o cargo de Ministro de Aviação Civil, e o também general Omar Suleiman, que inaugura o cargo de vice-presidente do Egito - posto inexistente no país desde o início do governo de Mubarak, em 1981. No domingo, o presidente egípcio se reuniu com militares e anunciou o retorno da política antimotins. A emissora Al Jazeera, que vinha cobrindo de perto os tumultos, foi impedida de funcionar.

Enquanto isso, a oposição segue se articulando em direção a um possível novo governo para o país. Em um dos momentos mais marcantes desde o início dos protestos, ElBaradei discursou na praça Tahrir e garantiu que "a mudança chegará" para o Egito. Na segunda-feira, o principal grupo opositor, os Irmãos Muçulmanos, disse que não vão dialogar com o novo governo. Depois de um domingo sem enfrentamentos, os organizadores dos protestos convocaram uma enorme mobilização para a terça, dia 1º de fevereiro.Depois Já passam de 100 os mortos desde o início dos protestos, na última terça.

 Imprimir
No momento não temos comentário, entre com o primeiro comentário aqui...
E você, o que acha disso?
*Título
*E-mail
*Nome
*Comentário
*País
Enviar
* Todos os campos são necessários, o email não será exibido junto ao comentário. Não serão aprovados comentários com conteúdo indecente, racista, desrespeitoso e que não seja relacionado ao assunto comentado.
ArabesQ não se responsabiliza pelo conteudo dos comentários.
Rádio Arabesq
Veja Também

+ Populares

Copyright © 2009 ArabesQ, todos os direitos reservados.