Abbas: Só nos resta declarar unilateralmente o estado palestino

Receita de Abbas: Só nos resta declarar unilateralmente o estado palestino

A | A
O presidente palestino, Mahmoud Abbas, afirmou que o impasse nas negociações de paz com Israel não deixa outro caminho a não ser solicitar ao Conselho de Segurança da ONU o reconhecimento de um estado palestino independente

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, afirmou que o impasse nas negociações de paz com Israel não deixa outro caminho a não ser solicitar ao Conselho de Segurança da ONU o reconhecimento de um estado palestino independente, pedido, segundo Abbas, apoiado pelos países árabes. Mas a União Européia se juntou aos Estados Unidos, na recusa desse pedido considerando-o prematuro.
 
Abbas garantiu, em coletiva no Cairo, que “a decisão de declarar o estado palestino não é uma decisão unilateral”, e sim uma resolução do comitê árabe superior de acompanhamento para pedir ao Conselho de Segurança da ONU o reconhecimento de um estado palestino.
 
"Nos sentimos em uma situação muito difícil... Qual é a solução para nós? Ficarmos pendurados assim sem paz? Por isso decidi dar este passo." Explicou Abbas.
A União Europeia se juntou aos Estados Unidos rejeitando um possível pedido da Autoridade Palestina pelo reconhecimento internacional de um Estado palestino independente, e exigiu, ao em vez disso, o rápido retorno às negociações de paz com Israel.
 
"Eu não acho que chegamos a este estágio... desejo estarmos em uma situação que nos permita reconhecer um estado palestino, mas deve haver um estado primeiro, por isso acho um pouco prematuro esse reconhecimento” afirmou o chanceler sueco Carl Bledt, cujo país detém a presidência rotativa da EU.

Um porta-voz do departamento de estado americano, Ian Kelly, disse ontem que seu país apóia um Estado palestino geograficamente contíguo, mas isso só poderia ser feito através de negociações bilaterais com Israel.

Membros do senado americano haviam indicado que os Estados Unidos usariam o veto contra qualquer resolução no Conselho de Segurança para obter o reconhecimento internacional de um estado palestino.
 
O presidente francês Nicolas Sarkozy alertou que ambos os lados, israelenses e palestinos, estão enfrentando reações mais extremas a cada dia de atraso na retomada das conversações. Para ele a prioridade é reiniciar o processo de paz o mais rapidamente possível.
 
O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, reagiu rapidamente às novas tendências da Autoridade Palestina, dizendo que qualquer declaração de um Estado palestino de forma unilateral seria uma violação aos acordos assinados entre os dois lados, e ameaçou que isso levará Israel a tomar medidas que podem incluir a anexação de mais territórios na Cisjordânia.

Com al-jazeera