Principal > Política > Notícias
Português العربية
    Thursday, October 17, 2019
ArabesQ
Newsletter

Receba as nossas notícias por e-mail


Netanyahu adverte ANP sobre declaração de Estado palestino

 Imprimir Arabesq | 16/11/2009 A | A
Publicidade
Consciencia Jeans

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, advertiu neste domingo que, caso os palestinos declarem um Estado independente de forma unilateral, "Israel também tomará decisões unilaterais". "Não há alternativa para as negociações entre Israel e a Autoridade Nacional Palestina (ANP). Qualquer caminho unilateral vai descosturar os acordos que há entre nós e levará Israel a também tomar decisões unilaterais", advertiu Netanyahu em um jantar de gala do Fórum Saban, em Jerusalém.

O fórum reúne personalidades locais e internacionais para buscar novas ideias para relançar o estagnado processo de paz do Oriente Médio. O ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton e o governador do estado americano da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, são alguns dos convidados. Segundo o primeiro-ministro israelense, "a única forma de alcançar a paz é por meio da resolução dos problemas na mesa de negociações".

Nos últimos dias, diferentes dirigentes palestinos declararam que a ANP pedirá o apoio da ONU para declarar um Estado palestino de forma unilateral, em meio à estagnação do processo de paz. Mais cedo hoje, aniversário da Declaração de Independência de Argel de 1988, o primeiro-ministro da ANP, Salam Fayyad, e o chefe da equipe de negociação palestina, Saeb Erekat, insistiram em que os palestinos declararão a criação de seu Estado com capital em Jerusalém oriental em até dois anos.

A Declaração de Independência de Argel foi anunciada pelos palestinos em 15 de novembro de 1988 no exílio e fixava os limites do futuro Estado da Palestina nas fronteiras de 1967, com Jerusalém como capital. A última vez em que os palestinos propuseram uma medida unilateral deste tipo foi em 1998, ao final do período de cinco anos que Israel e os palestinos tinham definido como meta em 1993, no primeiro acordo de Oslo, para alcançar um tratado de paz.

À época, a diplomacia israelense, com o apoio dos Estados Unidos, derrubou a posição palestina. Coincidentemente, Netanyahu também era o primeiro-ministro de Israel em 1998. "Quero esclarecer que nós não impomos condições aos palestinos para negociar. Não há nenhuma razão para desperdiçar tempo", afirmou o chefe do governo israelense em referência à reivindicação da ANP que pede o fim da expansão das colônias judaicas na Cisjordânia como condição para reativar o diálogo.

Netanyahu se mostrou convencido de que palestinos e israelenses "podem surpreender ao mundo se começarmos a negociar".

 Imprimir
No momento não temos comentário, entre com o primeiro comentário aqui...
E você, o que acha disso?
*Título
*E-mail
*Nome
*Comentário
*País
Enviar
* Todos os campos são necessários, o email não será exibido junto ao comentário. Não serão aprovados comentários com conteúdo indecente, racista, desrespeitoso e que não seja relacionado ao assunto comentado.
ArabesQ não se responsabiliza pelo conteudo dos comentários.
Rádio Arabesq
Veja Também

+ Populares

Copyright © 2009 ArabesQ, todos os direitos reservados.