Principal > Islamismo > A Fé Muçulmana
Português العربية
    quarta-feira, 20 de setembro de 2017
Newsletter

Receba as nossas notícias por e-mail


Sharia: Introdução à jurisprudência islâmica

 Imprimir Arabesq | 27/01/2010 A | A
Publicidade
Consciencia Jeans

Sharia é agora um termo familiar para os muçulmanos e não muçulmanos, que muitas vezes ouvimos em notícias sobre política, questões feministas, terrorismo e civilização. Mas, apesar de ser citado constantemente, poucas vezes é explicado, mantendo-se assim uma imagem obscura e muitas vezes negativa sobre o mesmo, já que é associado pelos meios de comunicação à amputação de membros, a morte por apedrejamento, a chibatadas e outros castigos medievais. Sendo assim a Sharia difundida como uma legislação injusta imposta sobre pessoas que vivem em nações onde as leis se baseiam nela.

Na realidade, o islamismo trouxe consigo um conjunto de leis que regem a vida do muçulmano, essas leis compõem a Sharia, que é elaborada pela combinação de diversas fontes, incluindo o Alcorão (o livro sagrado dos muçulmanos), os Ahadith (ditos e condutas do Profeta Maomé SAAS) e as Fatwas (decisões dos estudiosos islâmicos para questões do cotidiano, que muitas vezes usam interpretações do alcorão e dos Ahadith)

Na tradição islâmica, Sharia, é vista como algo que alimenta a humanidade. Não como algo primitivo, mas como algo divinamente revelado. Em uma sociedade onde os problemas sociais são endêmicos a Sharia liberta a humanidade alcançando seu maior potencial individual que será somado às realizações de toda uma sociedade. Sendo responsável pela evolução da conduta do ser humano em momentos históricos onde, o mesmo, afastou-se do conceito de civilização. Dessa forma a Sharia representaria a lei de Deus na terra.

“Em verdade, revelamos-te o Livro corroborante e preservador dos anteriores. Julga-os, pois, conforme o que Deus revelou e não sigas os seus caprichos, desviando-te da verdade que te chegou. A cada um de vós temos ditado uma lei e uma norma; e se Deus quisesse, teria feito de vós uma só nação; porém, fez-vos como sois, para testar-vos quanto àquilo que vos concedeu. Emulai-vos, pois, na benevolência, porque todos vós retornáreis a Deus, o Qual vos inteirará das vossas divergências”.
Alcorão, 5:48

Para os muçulmanos, a vida não começa no nascimento, mas muito tempo antes disso. Antes mesmo da criação do primeiro homem. Tudo começou quando Deus criou as almas de todos aqueles que irão existir e lhes perguntou: "Eu não sou o seu Senhor?" Todos eles responderam: "Sim".

Deus decretou para cada alma um tempo na terra para que pudesse julgá-la. Em seguida, após a conclusão dos respectivos termos escolhidos, Ele irá julgá-los e enviá-los ao seu destino eterno: ou uma de felicidade sem fim, ou de uma tristeza eterna.

Esta vida é, então, uma viagem que apresenta aos homens muitos caminhos. Apenas um desses caminhos é claro e direto. Esse caminho é a Sharia.

Orientação divina
Sharia significa em árabe "O bom e claro caminho para a água". Islamicamente, é usado para se referir aos assuntos de religião que Deus tem legislado para Seus servos. O significado lingüístico da Sharia reverbera em seu uso técnico: assim como a água é vital para a vida humana, é vital a Sharia para a vida, a alma e a mente.

O islamismo ensina que ao longo da história, Deus enviou mensageiros para pessoas em todo o mundo, guindo-os para o caminho correto que os levará para a felicidade neste mundo e no outro a seguir. Todos os mensageiros ensinaram a mesma mensagem sobre a crença (o Alcorão ensina que todos os mensageiros chamaram as pessoas para a adoração do único Deus), mas o conjunto específico das leis divinas que regulam a vida das pessoas variou de acordo com as necessidades de cada povo e de seu tempo.

No Islã, o Profeta Muhammad (SAAS) é considerado o último mensageiro e, portanto, sua Sharia representa a última manifestação da misericórdia divina sobre a conduta correta do ser humano.

“Estão-vos vedados: a carniça, o sangue, a carne de suíno e tudo o que tenha sido sacrificado com a invocação de outro nome que não seja o de Deus; os animais estrangulados, os vitimados a golpes, os mortos por causa de uma queda, ou chifrados, os abatidos por feras, salvo se conseguirdes sacrificá-los ritualmente; o (animal) que tenha sido sacrificado nos altares. Também vos está vedado fazer adivinhações com setas, porque isso é uma profanação. Hoje, os incrédulos desesperam por fazer-vos renunciar à vossa religião. Não os temais, e temei a Mim! Hoje, completei a religião para vós; tenho-vos agraciado generosamente sem intenção de pecar, se vir compelido a (alimentar-se do vedado), saiba que Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo” (Alcorão, 5:3)

Questões Legais
A Sharia regulamenta todas as ações humanas e as coloca em cinco categorias: Obrigatórias, Recomendadas, Permitidas, Não-Recomendadas e Proibidas.

  1. Obrigatórias: Devem ser realizadas e, quando realizadas com boas intenções são recompensadas.
  2. Recomendadas: Se forem feitas serão recompensada e se não forem não serão punida.
  3. Permitidas: Não são nem encorajadas nem reprimidas, a maioria das ações humanas se enquadram nessa categoria.
  4. Indesejadas: Se forem evitadas serão recompensadas mas fazê-la não acarreta em punição.
  5. Proibidas: Evitar essas ações é um dever para o muçulmano e será recompensado, realizar essas ações levará a condenação e punição.

Mas o valor final de cada ação é baseado na intenção e sinceridade que o ser humano realizou a mesma, como mencionado pelo profeta, que disse: "

 Imprimir


COMENTÁRIOS
 
laila 28/01/2010 12:56:38
Sou brasileira,filha de Libanes e gostaria muito de conhecer a doutrina islâmica, fé à qual meu pai professava.Chucran.

AMINAH 28/01/2010 14:12:54
HELLO, I DO NOT KNOW WHY ALL THESE INCREASE IN ADJUSTING THINGS THAT HAVE EXISTED SINCE WE COMPREHEND WE'RE HUMAN BEINGS. OK, IF A GROUP OF MEN WANT TO PLACE SOME LAWS THEY THINK ARE RIGHT FOR THEM, IT'S ALLOWED FOR THEM. WHAT I DON'T AGREE IS WITH THE PRESSION ON TO BE SUBJULGATED TO SOME LAWS IF YOU DO NOT TAKE PART IN THAT GROUP. ONE THINK I THINK, DO TO OTHERS WHAT YOU WANT THEY DO TO YOU TOO!

CacáCoimbra 21/08/2010 11:59:26
Achei interessante o texto.Vi em uma reportagem sobre uma punição através dessa lei muçulmana(Sharia). Pesquisei e encontrei esse site aqui. Gostaria de saber alguns sites onde posso estar tendo contato com o Alcorão, pois achei interessante. Parabéns pelo site.

AQUINO CORREIA JAPIASSÚ FERRO 19/01/2011 11:01:38
A SABEDORIA HUMANA É MUITO LIMITADA QUANDO EXISTE A FÉ. É DELA QUE O SER HUMANO SOBREVIVE, SEM FÉ NÃO HÁ SABEDORIA. O TEXTO É MUITO BONITO.

adriano menezes 20/07/2011 22:03:35
depois de convertido ao islam e aamdo tudo isso ví a importancia da SHARIA que defien nossso valores e nos regular para que possamos ser verdadeiros muslims e nao somente admiradores do islam!

Lucas Previolli 15/09/2011 10:06:16
O grande problema é a gigantesca dificuldade que o isla tem em separa estado e religião. O islã nunca servio, não serve e nunca servira como modelo para humanidade, o Islã representa escravidão e crueldade, isso em qualquer lugar do mundo e não deve ser disseminado no Brasil. Olhem pelo planeta, onde a shaira é imposta como há MEDO

Fuad 07/10/2011 09:40:55
Esse lucas previolli não faz idéia do que escreve e nem conhece a história da humanidade que se desenvolveu após o Islã, quando a Europa vivia a idade média queimando as bruxas e perseguindo os não Cristãos. Sugiro ao coordenador deste sítio, meu querido irmão Tammam que envie o e-mail dele para o Ministério Público para as providências que forem cabíveis por preconceito e discriminação.

riechi 18/10/2011 21:16:29
Com a queda e falência da igreja católica;a humanidade saberá qual é o verdadeiro caminho;só teremos a verdadeira paz quando obedeçermos e cumprir as leis do criador;para quem não sabe são 613,e isso mesmo 613.

Kc 21/10/2011 00:46:38
É o modelo islamico é ruim.Bom é o modelo europeu americano, é só ver o que ele fez : Cruzadas, inquisições, duas guerras mundiais , colonização da africa e americas.Genocidio de indios ,guerra fria, bomba atomica no japão e diversos sectarismo e racismos contra muçulmanos , latinos ,negros e outros grupos e povos. A europa + EUA mataram mais de 250 milhões de pessoas em sua historia. Realmente esta ai um excelente modelo a ser seguido.

Mario Sabino 14/12/2011 10:09:44
Assalam alaikum.Independente da religião, cada um tem obrigações de respeito e auxílio mútuo. Infelizmente o ser humano se se preocupa com a religião"melhor", mas se esquece do "SER",que Deus nos julgará pelas atitudes, não pela crença religiosa. Em nosso querido Brasil, moro noTriângulo Mineiro, aqui viveu Chico Xavier, seguia religião Espírita, humilde, caridoso, auxiliou milhares, se teve falhas , cabe a Deus dizer, Irmã tereza,Irmã Dulce, cristãs católicas, exemplo de amor,paz ,caridade... Na Torah, na Bíblia,no Alcorão, as palavras vieram por mensageiros da Paz. Não se contesta,se vive. A discordância disso é só o pensamento que está EM CADA UM DE NÒS...

123
E você, o que acha disso?
*Título
*E-mail
*Nome
*Comentário
*País
Enviar
* Todos os campos são necessários, o email não será exibido junto ao comentário. Não serão aprovados comentários com conteúdo indecente, racista, desrespeitoso e que não seja relacionado ao assunto comentado.
ArabesQ não se responsabiliza pelo conteudo dos comentários.
Sharia: Introdução à jurisprudência islâmica Sharia: Introdução à jurisprudência islâmica
Rádio Arabesq
Relacionados
+ Populares - Islamismo

Copyright © 2009 ArabesQ, todos os direitos reservados.