Hajj – A peregrinação em Meca

Receita de Hajj – A peregrinação em Meca

A | A
Entenda o Hajj, seus rituais e calendário. Um dos mais importantes pilares práticos do islã.

A palavra “Hajj” significa a intenção de visitar. O Alcorão Sagrado mudou o seu significado linguístico geral para um significado específico, denominando um ritual islâmico em particular, um dos pilares da prática do islamismo.

A Peregrinação (Hajj) no Islã constitui-se de um conjunto de atividades que o muçulmano cumpre entre o 8º e 12º dia do 12º mês do calendário lunar islâmico, o mês de “Zul Hijja”, na cidade sagrada de Meca, situada, atualmente, no Reino da Arábia Saudita, da forma que o Mensageiro de Deus (Maomé, Muhammad S.A.A.S.) cumpriu.

Todo muçulmano em condições financeiras e físicas deve praticar o Hajj ao menos uma vez na vida

Foi denominado de Hajj porque o muçulmano, que cumpre os rituais, se dirige para a Caaba (templo em formato cúbico, coberto por um pano da cor preta, erguido no centro da Grande Mesquita de Meca) e para outros locais sagrados, como Arafat, Mina e Muzdalifa, para cumprir os seus rituais.

Rituais do Hajj

  • Ihram: O início da consagração com o uso do traje da peregrinação.
  • Tawaf: Circular em torno da Caaba.
  • Sa’i: Ritual de se percorrer a distância entre os dois montes, Safa e Marwa.
  • Wucuf: Que significa deter-se.
  • Rami: Arremesso de pedras contra o simbulo do diabo.
  • Mabit: Pernoite em Mina e Muzdalifa.


Ihram:
Antes de iniciar a jornada os fieis devem ingressar ao estado de autocontrole chamado de ihram, durante o qual o peregrino fica proibido de causar dano a criaturas vivas, mesmo insetos e plantas, ou elevar a voz em zanga. O estado de Ihram é determinado com o uso de duas peças não costuradas de tecido branco. O traje significa a igualdade de todos perante Deus. Não há especificação de trajes para as mulheres peregrinas. Desde o início do Ihram até o final da peregrinação o muçulmano não mais se barbeia, ou corta o cabelo, ou tem relações sexuais ou usa perfumes.

Tawaf:

Significa circungirar, no sentido anti-horário, sete vezes a Caaba que foi construída inicialmente pelo Profeta Abraão e seu filho Ismael. A Caaba é considerada o primeiro santuário na terra dedicado à adoração de Deus Único. É um símbolo da unidade dos muçulmanos porque todas as orações, onde quer que sejam cumpridas, são orientadas na direção da Caaba. Na Caaba também está presente a sagrada pedra negra, considerada uma prova material vinda dos céus.

Sa’i:
Consiste em percorrer sete vezes a distância entre dois pequenos montes, Safa e Marwa, perto da Caaba, em ritmo acelerado, para lembrar o desespero de Agar (mulher de Abraão) na procura por água para dar ao seu filho Ismael. Os fieis também bebem a água do poço de Zamzam, criada por Deus nas areias do deserto para salvar Agar e Ismael. A água de Zamzam, supostamente, tem poderes miraculosos. A chegada na fonte também marca o fim da jornada individual e o início da jornada coletiva. Depois do pôr-do-sol os peregrinos dirigem-se para Mina, um local perto de Meca, onde acampam, passam a noite e devem realizar as suas orações. Termina aqui o primeiro dia do Hajj.

Wucuf:
Ocorre no 9º dia do mês Zul Hijja, é o ponto máximo da peregrinação. Os peregrinos deixam Mina em direção ao Monte de Arafat, um elevado cercado por um vale vazio ha 25km de Meca. Nesse dia os peregrinos se reúnem em assembléia no monte para meditar e suplicar perdão a Deus, rezando do nascer ao por do sol. Se rendendo inteiramente à onipotência de Deus.

Após o pôr-do-sol os peregrinos dispersam, abandonando Arafat em direção a Muzdalifah onde fazem a oração da noite e lá deverão passar a noite em tendas. Durante a noite os fieis recolhem pequenas pedras que serão usadas num ritual do dia seguinte.

Rami:
É o arremesso de sete pedras, coletadas em Mina, feito contra três pilares (pedras que eram adoradas como divindades nos tempos pré-islâmicos) que representam a tentação de Satanás a Abraão para abandonar Deus por ter ordenado que sacrifique seu filho. O arremesso das pedrinhas indica a rejeição dos atos maléficos pelo peregrino.

Logo após começam os sacrifícios dos dias do Tashriq, em memória ao sacrifício de uma ovelha por Abraão, quando os fieis sacrificam ovelhas e doam a carne para os pobres. Muçulmanos em todo o mundo participam desse ritual.

Os ritos terminam com o início as festividades de três dias que celebram o fim do Hajj, o Eid al-Adha ("Festa do Sacrifício").

Por último, o peregrino pode efetuar um voluntário tawaf e um sa´ee antes de se despedir de Meca. Todo homem ou mulher que efetuou o Hajj é chamado de hajji ou hajja respectivamente, alcançado status de respeito na comunidade e na família.

 


O Hajj é uma viagem da alma e do corpo. É o abandono da pessoa para se dedicar a Deus e a Sua causa. É o abandono da família, dos bens e dos prazeres mundanos. É o suportar do cansaço, das dificuldades e do sono, por amor a Deus, saudade d’Ele e em atendimento ao Seu chamado:

“E proclama a peregrinação às pessoas; elas virão a ti a pé, e montando toda espécie de camelos, de todo o longínquo lugar” (Alcorão Sagrado, 22:27).

O Hajj é um ritual do qual participam vários elementos. Participam o corpo, o dinheiro, a alma e os sentimentos. Por isso tem um caráter mater

Al-Sayyed Sharif Sayyed
Teólogo e pesquisador em pensamento Islâmico, Diretor Geral da revista Evidências
Contato