Principal > Economia > Notícias
Português العربية
publicidade
    Sunday, September 22, 2019
ArabesQ
Newsletter

Receba as nossas notícias por e-mail


Arábia saudita não é afetada pela crise e pode ajudar na solução

 Imprimir Agências | 12/10/2008 A | A
Publicidade
Consciencia Jeans

Após uma semana de quedas consecutivas a bolsa da Arábia saudita encerra negociações em alta, empurrada pelas ações da "SABIC" que subiram mais de 6%, e "Al-Rajihi" que valorizaram 3,5%, apesar dos prejuízos dos bancos que limitaram a alta da bolsa que registra seu menor nível em 4 anos.

O mercado reagiu positivamente às resoluções, divulgadas hoje, da Agência Monetária da Arábia Saudita, contendo a redução da taxa Repo, pela primeira vez em 20 meses, de 5,50% para 5%, e as reservas mínimas de 15% para 10%.

O Ministro da Economia Saudita, Ibrahim Al-Assaf, disse que seu país "poderá estender as mãos com os esforços internacionais para resolver a crise” sem divulgar maiores detalhes. Mas acrescentou que seu país é um membro ativo em instituições internacionais e com assento independente no Fundo Monetário Internacional e no Banco Mundial, além de ser um membro do Grupo dos Vinte e participar em todas as deliberações sobre a situação econômica da crise financeira mundial. E negou que os preços do petróleo tenham contribuído para o agravamento da crise.

O Ministro Saudita expressou a esperança de que os estados diretamente afetados pela crise façam o que for necessário para pôr fim à escassez de crédito entre instituições financeiras.
 
O presidente do Banco Mundial Robert Zoellick, em uma entrevista à Al-Jazeera, defendeu que o Grupo dos Sete Estados industrializados deve tomar medidas para resolver a crise financeira. E deseja participação dos países em desenvolvimento, como a China, injetando recursos para aumentar a liquides dos bancos comerciais e reduzindo as taxas de juros.
 
Crise de Confiança
 
Ibrahim Al-Assaf insiste em defender a pouca vulnerabilidade da economia Saudita perante crise, e responsabiliza a crise de confiança pelas quedas astronômicas ‘injustificadas’ das ações, já que ‘os bancos locais não foram afetados pela crise’.

O Ministro Saudita reforçou a continuidade dos projetos de desenvolvimento econômico na Arábia Saudita, usando as reservas acumuladas recentemente pela exportação de petróleo.

Na quarta passada, Mohamed Al-Jasser, vice-governador do Banco Central Saudita, desconsiderou a necessidade de recursos do governo para o setor financeiro que, segundo Mohamed, não enfrentar escassez de liquidez.

 Imprimir

No momento não temos comentário, entre com o primeiro comentário aqui...
E você, o que acha disso?
*Título
*E-mail
*Nome
*Comentário
*País
Enviar
* Todos os campos são necessários, o email não será exibido junto ao comentário. Não serão aprovados comentários com conteúdo indecente, racista, desrespeitoso e que não seja relacionado ao assunto comentado.
ArabesQ não se responsabiliza pelo conteudo dos comentários.
Ibrahim Al-Assaf, Ministro da Economia da Arábia Saudita Ibrahim Al-Assaf, Ministro da Economia da Arábia Saudita
Rádio Arabesq

Países Árabes