Marina Elali, a estrela brasileira de origem palestina

Receita de Marina Elali, a estrela brasileira de origem palestina

A | A
Em entrevista exclusiva, Marina Elali fala de sua origem árabe e sua influencia em sua música e carreira

Em entrevista exclusiva ao programa Arabesco, a cantora e compositora Marina Elali nos confidenciou peculiaridades sobre sua vida e carreira, falou de suas origens e da influencia da cultura árabe na sua vida.

- Clique aqui para ver a entrevista exclusiva com Marina Elali

Marina Elali, nasceu no nordeste brasileiro, mas precisamente em Natal no Estado do Rio Grande do Norte, possui origem árabe por parte de seu pai que é Palestino, sua mãe é Brasileira.

Marina começou sua vida artistica desde muito pequena, adorava dançar balé, se apaixonou pela música, especialmente a clássica, em seguida começou a tocar piano clássico e participou do coral de seu colégio.

Aos quatorze anos ela decidiu que queria unir todas essas artes no palco como cantora, cantou pela primeira vez em sua festa de quinze anos, deixando sua família e todos os convidados encantados. A partir daí e com o apoio dos pais passou a ser convidada para fazer shows, até que decidiu definitivamente que iria estudar música.

Aos 17 anos de idade, Marina viajou aos Estados Unidos para estudar música na “Barkley College of Music”, se dedicou aos estudos por quatro anos e regressou ao Brasil.

Gravou seu primeiro CD na cidade do Rio de Janeiro e a partir daí sua jornada começava marcada por várias participações na Rede Globo, como no Reality show “Fama” onde permaneceu do começo ao final da competição. Mas marina já havia participado em um sucesso a nível nacional, mesmo não sendo lembrada pela maioria, Marina Elali cantou em árabe a famosa música “Habibi Ya Nur El-Ein” na novela “O Clone”, depois participou com uma música própria na novela “América”.

Já em filmes, a cantora teve suas músicas em vários sucessos como, “A Fronteira” que foi lançado nos Estados Unidos, “Didi, O Cupido Trapalhão”, “Se Eu Fosse Você” e no “Segurança Nacional”.

Arabesq: Você já visitou algum país árabe? O que achou da experiência?
Marina Elali: Eu já fui para a palestina, inclusive conheci uma parte da minha família que mora lá, vi a casa onde meu pais morou, a igreja onde foi batizado, também passei pela Jordânia e um pouco pelo Egito. Em outra oportunidade fui para a Jordânia novamente, porque meu irmão foi estudar árabe .

Arabesq: Teve algum fato que não te agradou na palestina?
Marina Elali: Com certeza, a primeira vez que eu fui, eu tinha doze anos de idade, e lembro de algumas coisas, fiquei triste de ver aquela situação, mas gosto mais de me lembrar das cosias boas que eu vi, da felicidade da nossa família com nossa presença lá, a comida maravilhosa na mesa, da música tocando, as festas que eu fui, as jóias, a beleza da mulher árabe e a maquilagem que eu adoro... prefiro me lembrar das coisas boas.

Marina estava nos Estados Unidos na ocasião do 11 de Setembro, ela nos contou do pânico sofrido por todos, mas não crê que sofre preconceitos por ser árabe, apenas na imigração de alguns países que olham de forma diferente, mas nada que a atrapalhe, por isso que Marina enfatiza a Paz e nos diz que enquanto possuir um microfone na mão irá falar, cantar e pedir pela paz entre os povos no mundo.

Arabesq: Você utiliza a influencia árabe nos seus trabalhos?
Marina Elali: Minha musica tem estilos de coisas que eu gosto, e dentre estes estilos está a musica árabe que ouvia desde criança, e eu não podia deixá-la de fora, por isso foi uma homenagem que eu fiz para a nossa cultura na música ‘mulheres gostam’, que apesar de ser uma música brasileira, o arranjo é bem árabe... Fiz questão de gravar meu primeiro vídeo-clipe com esta música, porque queria dançar um pouco da dança do ventre que sempre fez parte da minha vida. Uso este lado no meu show, e quero continuar colocando a música árabe no meu trabalho.

A influencia árabe é nítida na cantora, não apenas em sua beleza, mas em seu álbum que mistura a música árabe ao estilo Pop, ela fez questão de homenagear sua origem e dançar a dança do ventre em seus shows, ainda disse que gostaria de cantar em países árabes e que pretende aprender a língua árabe para poder cantar também na língua dos suas origens.

- Clique aqui para ver a entrevista completa com a estrela brasileira de origem palestina.